Rating: 2.8/5 (278 votos)

ONLINE
1



CLIKE AQUI PARA ACESSAR O CHAT

 

DSD

 

 

 dsd

          

 



 

 



Maracanã

Maracanã

A Construção

Este histórico estádio, que é conhecido pelo nome do
pequeno rio que corre em frente e que também dá nome ao bairro onde está
localizado, foi construído para sediar a Copa do Mundo de 1950.

Em 1947 a prefeitura do Rio de Janeiro abriu concorrência pública para o
projeto arquitetônico do estádio. O projeto vencedor foi de autoria da equipe de
arquitetos formada por Waldir Ramos, Raphael Galvão, Miguel Feldman, Oscar
Valdetaro, Orlando Azevedo, Pedro Paulo Bernardes Bastos e Antônio Dias
Carneiro.

A sua construção teve início dia 2 de agosto de 1948, na administração do
prefeito Ângelo Mendes de Morais. Trabalharam na obra gigantesca 1.500 homens, e
nos meses finais este número elevou-se para 3.500. O engenheiro que iniciou os
trabalhos foi o Dr. Paulo Pinheiro Guedes.

A Copa do Mundo de 1950 foi realizada com as obras ainda inconcluídas. A
rigor, estas só terminaram em 1965.

O estádio pertence ao município do Rio de Janeiro. O projeto que transitou na
Câmara de Vereadores para a sua construção foi de autoria de Ary Barroso, famoso
compositor e locutor esportivo, que era vereador naquela época. Para sua
administração, foi criada a Administração dos Estádios do Maracanã, que depois
passou a se chamar Administração dos Estádios da Guanabara (ADEG) e depois
Superintendencia dos Estádios do Rio de Janeiro (SUDERJ).

A Arquitetura

O formato do estádio é oval, medindo 317 metros no eixo
maior e 279 metros no menor. Sua altura máxima é de 32 metros. A distância entre
o centro do campo e o espectador mais afastado é de 126 metros.

O gramado tem 110 metros de comprimento por 75 de largura. É circundado por
um fosso de 3 metros de largura e profundidade, com bordas em desnível. O acesso
ao gramado é feito por intermédio de 4 túneis subterrâneos.

A parte destinada ao público era, originalmente, constituída por três lances:
a geral (hoje extinta), que costumava acomodar até 30 mil espectadores de pé; o
segundo lance, com 30 mil cadeiras e 300 camarotes com 5 lugares cada; no
terceiro, situado sobre as cadeiras, ficam as arquibancadas, originalmente com
capacidade para 100 mil espectadores sentados. Na parte central do eixo menor,
lado da sombra, ficam a Tribuna de Imprensa, a Tribuna Desportiva e as Cadeiras
Especiais, incluindo as Cadeiras Perpétuas. Logo abaixo destas estão as cabines
refrigeradas de emissoras de rádio e televisão.

Com as reformas feitas para o I Campeonato Mundial de Clubes da FIFA em
janeiro de 2000, as arquibancadas foram divididas em cinco setores, assentos
individuais foram colocados em todos os degraus e camarotes foram instalados nos
lances superiores, diminuindo-se assim substancialmente a sua capacidade, porém
dotando o estádio de mais conforto e segurança. Depois da última reforma, para
os Jogos Pan-Americanos de 2007, as gerais foram extintas para dar lugar à
extensão do setor das cadeiras.

O estádio é dotado de uma marquise que cobre parcialmente as arquibancadas em
toda a sua circunferência. Refletores a vapor de mercúrio estão instalados sobre
a marquise, ao longo das duas laterais do campo.

A altura do estádio corresponde ao de um edifício de seis andares. O acesso
do público às arquibancadas se dá por duas gigantescas rampas nas extremidades
opostas do eixo menor do estádio. Cada rampa se desdobra em duas, desembocando
nos anéis que circundam as arquibancadas na altura do terceiro e do sexto andar.
Pode-se chegar às Cadeiras Especiais e Tribunas pelos elevadores. A área
circundante ao estádio abriga o Ginásio Gilberto Cardoso (o "Maracanãzinho"), o
Estádio de Atletismo Célio de Barros, o Estádio Aquatico Júlio Delamare e um
estacionamento, além de um pequeno museu do futebol sob uma das rampas de
acesso, em frente ao hall dos elevadores.

A Inauguração

A partida inaugural ocorreu em 16 de junho de 1950, com
portões abertos. Houve inúmeras solenidades, com a presença das maiores
autoridades do país e diversas bandas militares tocando em várias de suas
dependências.

Os dez maiores artilheiros:

Zico - Roberto Dinamite - Luisinho Lemos - Romário - Quarentinha -
Valdo - Pinga - Garrincha - Dida - Bebeto